04 abril 2012

Velhice



Quando vejo aquelas rugas,
penso na sabedoria que as causou.
Quando vejo as suas mãos trémulas,
Penso nos momentos em que foram firmes e me amparou.
No seu sorriso, vejo a tristeza,
na incerteza das decisões que outrora tomou.
No seu olhar revejo o lamento do tempo que se perde,
por orgulho, por parvoíce, por más decisões.

Sem comentários:

Enviar um comentário