26 junho 2012

Vapor de água


Porque pelos maiores amores derramais as mais intensas lágrimas?
Porque traz todo este fogo esta imensa dor?
Nos teus leves olhos encontrei a minha âncora, e por muito que os ventos me puxassem nunca o meu horizonte deles se perdeu.
Como qual partícula de água presa entre dois vidros, aquecidos ao lume de uma paixão...
E viro vapor, e tola penso que posso voar apenas porque agora me fazes flutuar.
Mas distrai-me, e num teu piscar, o gelo aparece, a temperatura desce, e eu caio, qual tola gota perdida. 

Mc
25/06/2012


Sem comentários:

Enviar um comentário